Não vos deixeis levar em redor por doutrinas várias e estranhas, porque bom é que o coração se fortifique com graça, e não com alimentos que de nada aproveitaram aos que a eles se entregaram. Hebreus 13:9

Assembléia de Deus
Sede - Maringá / Paraná)

Notícias

24/01/2010 / Notícias

Cantata Natalina

Ferramenta de Evangelização

Armando Luzi de Sá Ravagnani Jornal A Paz do Senhor

Imagem

Sentimos a poderosa ação do Espírito Santo por meio da Cantata e da Palavra que foi ministrada em seguida. Vimos que Deus jamais nos esquece e está pronto a guiar as nossas decisões. Um misto de alegria e quebrantamento marcou o evento.

Com estas palavras, o jovem Juliano das Neves Pina, da Assembleia de  Deus de Paranavaí-PR, registrou as suas impressões acerca da Cantata "Uma Oração no Natal", no domingo, 13 de dezembro de 2009, em nosso Templo-Sede.

Foram vários meses de preparação e união de forças, mas que resultou numa bela e comovente apresentação, sem sombra de dúvida, uma poderosa ferramenta de evangelismo. Sim, pois os belos cânticos entoados pelos diferentes ministérios de louvor e acompanhados pela orquestra da igreja foi uma demonstração do grande e incondicional amor de Deus a todos nós.

 

Inovação

 

Desde que as cantatas natalinas começaram a ser apresentadas na Igreja Central, o

resultado é visivelmente melhor a cada ano. Um aspecto inovador e que merece destaque desta feita é o que diz respeito à encenação previamente gravada, por meio de um curta-metragem, cujos atores foram os próprios membros da igreja.

O fato foi tão relevante que chamou a atenção de todos os presentes, como da irmã Noemi Rodrigues da Silva Souza, da Congregação do Jardim Alvorada, que assim declarou:  A Cantata foi linda, não apenas pela harmonia musical, mas pelo fato de o tema ter sido de acordo com a nossa realidade. O mais interessante é terem escolhido pessoas da nossa igreja para participarem da encenação. Compromisso ministerial  Sob a supervisão dos maestros Samuel e Osiel Bastos, a Cantata teve a colaboração de líderes de outros ministérios musicais. À frente dos seus respectivos grupos, a atuação de João Gabriel de Macedo (Orquestra), Magna Falleiros e Maria Antunes (Conjunto Infantil), Ariane Priscila Bassouto (Coreografia), Jeferson Júnior (Grupo Gênesis) e Elisa Farinelli Pattaro (Grupo

Maranata) foi de grande importância para o brilhantismo do evento. Vale ressaltar que, desde o início dos ensaios e dos demais preparativos, uma equipe composta por muitos irmãos não mediu esforços para que a apresentação obtivesse o êxito alcançado. Quase duzentas pessoas estiveram envolvidas direta e indiretamente na preparação do musical, inclusive a própria liderança da igreja local, representada pelos pastores Robson Brito e Daniel Ramos.

O tema

A escolha do tema teve como base a história de Felipe, um jovem que, após a  morte da mãe, saiu de casa por não conseguir conviver com o "amargo"

pai. Durante o tempo em que ficou afastado, Deus realizou uma grande transformação em toda a família. Convidado para passar o Natal com os familiares, apesar da relutância em aceitar o convite, o rapaz teve uma maravilhosa experiência com o Senhor. Entre as muitas intercorrências, uma oração encontrada dentro de uma velha Bíblia, a qual fora usada por sua mãe, mudou radicalmente o curso da sua vida. A harmonia entre os cânticos e as encenações impactou a plateia acerca da importância da verdadeira reconciliação com Deus e com o próximo, fundamentada na mensagem salvadora das Sagradas Escrituras. Um exemplo disso é a afirmação da funcionária pública municipal e membro da Igreja Missionária

Central de Maringá, Aparecida D. S. Almenara: O Evangelho é que traz a  libertação aos cativos e a restauração das famílias, dos sentimentos e dos relacionamentos tão abalados hoje em dia. Sobretudo, ele proporciona salvação e vida eterna.

Ação divina

 

Algo que marcou profundamente os presentes foi o enfoque quanto à maneira de

Deus agir na vida das pessoas. Na Sua soberania, o Senhor usa as mais diversas

circunstâncias para que os que ainda não foram salvos cheguem ao conhecimento de Cristo por meio do Espírito Santo e da Sua Palavra. Até obstáculos, esencontros e situações aparentemente desfavoráveis se tornam agentes divinos para resgatar

os perdidos. Deus muda radicalmente as pessoas que decidem entregar a sua vida a Jesus. Uma vez transformadas, elas passam a ser agentes de transformação na sociedade onde vivem. Movidas pelo Espírito Santo, elas não mais se conformam com este mundo (Rm 12.1-2), ao contrário, passam a testificar acerca da experiência que tiveram, ao mesmo tempo em que glorificam a Deus pela maravilhosa obra redentora. Foi uma experiência assim que teve o irmão  Alexandre Alves Cardoso, da Igreja Batista Sião de Maringá. Após o encerramento, visivelmente emocionado, ele relatou: Esta Cantata foi para mim um momento de reflexão sobre o que Deus fez por meio de Cristo para a  salvação dos pecadores. É um momento de louvor e gratidão por um dia eu ter tido a oportunidade de crer no evangelho. Aleluia.

 

Relacionamento ajustado

Conforme o Pastor Robson Brito enfatizou na sua ministração,  A encarnação de Cristo em Jesus de Nazaré é a maior prova de que Deus quer se relacionar conosco. Nesta perspectiva, o verdadeiro Natal é a história de amor do nosso Pai

Celeste, por intermédio da Sua Carta Aberta à humanidade, Jesus Cristo. Movido por este profundo sentimento, Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênit para que todo aquele que n'Ele crê não pereça, mas tenha vida eterna (Jo 3.16). Natal, portanto, não deve ser visto como a festa dos perus, dos presentes, dos enfeites, da luzes e do bom velhinho Papai Noel, conforme preconiza este mundo consumista e cada vez mais distante dos pressupostos  divinos. Ao contrário, é um momento oportuno para as famílias refletirem acerca da necessidade de um relacionamento pessoal ajustado com o Senhor. Acima de tudo, de adoração, louvor e gratidão por tudo que Ele fez, está fazendo e ainda fará ao nosso favor. Como mediador entre Deus e o homem (1 Tm 2.5), Cristo intercede por nós junto ao Pai. Mediante o desenvolvimento de um estilo de vida de oração, podemos ter a garantia que Ele intervém em nossa história e muda a  realidade de cada pessoa. A nossa resposta a tudo isso deve ser uma firme  disposição em adorá-lO como Rei dos reis e Senhor dos senhores, como fizeram os magos do Oriente (Mt 2.1-2), e propagar o Seu amor ao mundo.

 

© Assembléia de Deus de Maringá. Todos os direitos reservados.
Google+