No vos deixeis levar em redor por doutrinas vrias e estranhas, porque bom que o corao se fortifique com graa, e no com alimentos que de nada aproveitaram aos que a eles se entregaram. Hebreus 13:9

Assemblia de Deus
Sede - Maring / Paran)

Estudos

21/03/2013 / Estudos

Estudo 3 da Srie de Estudos: O QUE A BBLIA TEM A VER COM O MEU DIA A DIA

O QUE A BBLIA TEM A VER COM O MEU DIA A DIA

AD Maring Pr. Robson Brito

Carta de Joo




A Primeira Carta de Joo tem a ver com o meu dia a dia porque ela prova que Jesus Cristo tem legitimidade para ser meu Senhor e meu Salvador.


 


Textos Iniciais: 1Jo 4.15 e 5.5


 


Introduo


Jesus cem por cento homem e cem por cento Deus, por isso, identifica-se conosco. Falando de identificao, lembro-me da histria de um casal de ateus que tinha uma filha. Os pais jamais lhe falaram de Deus. Uma noite, quando a menina tinha cinco anos, seus pais brigaram e o pai atirou em sua me. Em seguida se suicidou. Tudo isso diante da menininha. Ela foi enviada a um lar adotivo. Sua nova me, levou-a a uma igreja. Nesse dia, a me explicou professora das crianas que a menina jamais havia escutado falar de Jesus e que por favor, ela tivesse pacincia. A professora apanhou uma figura de Jesus e perguntou a todos: "Algum sabe quem essa pessoa?" A menininha respondeu: "Eu sei, eu sei. Esse o homem que estava segurando minha mo na noite em que meus pais morreram"[1]. Por ser Deus com o Pai, Jesus Cristo Se revela.


Neste estudo, vamos verificar como Joo analisa o fato de "o Filho de Deus tornar-se o Filho do homem, a fim de que os filhos dos homens pudessem tornar-se filhos de Deus"[2]. Bem pregou Billy Grahan em uma de suas conferncias: "Ningum na Histria est acima de Jesus Cristo. Os agnsticos e os ateus encontraram falhas em ideias de cristos, mas jamais puderam notar qualquer erro na pessoa de Jesus Cristo. Eles viram erros em cristos, mas nunca em Cristo. Jesus de Nazar transcende mtodos, ideias e seguidores. Ele permanece no centro da Histria. Em qualquer lugar, os homens tm que se curvar diante da Sua superioridade. Uma vez que o Evangelho Cristo, quem deseja ser um cristo deve aceit-lO e segui-lO como a uma pessoa. Ele, e somente Ele, capaz de ouvir as necessidades da raa humana".


A Primeira carta de Joo define muito bem que Jesus Cristo verdadeiramente Deus e homem. Ou seja, Cristo tem as duas naturezas, a humana e a divina. Ele cem por cento Deus e cem por cento homem. Ao mesmo tempo em que Ele, como Deus, Todo-Poderoso, Onipotente e Onisciente, na Sua encarnao tornou-Se tambm humano, sujeito s mesmas fraquezas comuns a ns homens e mulheres, com a possibilidade de pecar, o que jamais aconteceu.


 


Outro aspecto que Jesus Cristo no somente tornou-Se humano igual a ns, mas Ele era um Homem Perfeito. Essa concepo tambm foge nossa compreenso porque no conhecemos a perfeio, isto , um ser humano imune a erros. Assim, foi Jesus Cristo enquanto viveu aqui na Terra h mais de dois mil anos.


A Vinda de Jesus, na encarnao, foi muito bem planejada pelo Senhor.


Mas hoje quero apontar um outro fato igualmente importante na Cristologia (estudo sobre a pessoa de Cristo) que, muitas vezes, no enfatizamos devidamente. Jesus Cristo no foi um homem qualquer, nascido de uma certa Maria que era noiva de um tal Jos. No! No foi assim! A vinda do Messias, do Cristo, o Ungido (todas estes ttulos tm o mesmo significado), foi planejada por Deus, incluindo a sua ascendncia, ou seja, os seus ancestrais.


O Prprio Deus prometeu a vinda de Jesus.


Ainda no den, Deus promete um descendente da mulher para pisar a cabea da serpente (Gn. 3.17), isto , o Redentor viria da mulher e Ele esmagaria a cabea de Satans. Depois, faz para Abrao a mesma promessa de um descendente (Gl. 3.16). No episdio no qual Abrao vai sacrificar Isaque, ele diz: "Deus prover para Si o Cordeiro" (Gn. 22.8). O Cordeiro nem era Isaque, nem aquele "carneiro preso pelos chifres entre os arbustos", mas Jesus Cristo, " O Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo" (Jo. 1.29).


Moiss prometeu a vinda de Jesus conduzindo o povo pelo deserto.


Por intermdio de Moiss, Deus anunciou a vinda do Profeta semelhante a Ele e quem no O ouvisse teria de prestar contas a Deus (Dt. 18.18-19). Alm disso, os sacrifcios de animais, bem como o do Cordeiro da Pscoa, apontavam para a vinda de um Redentor. Durante o perodo em que vigorou a Lei de Moiss, os que eram salvos assim o faziam pela f que depositavam no Messias que havia de vir.


Deus fez uma aliana com Davi, vaticinando que um de seus descendentes regeria o mundo todo.


Foi com Davi que Deus fez a aliana do descendente que reinaria para sempre em Israel (2Sm. 7.12; Sl. 132.11; 89.3,4 e 110.4). Os rabinos sabiam que o Messias viria da tribo de Jud e que seria um descendente de Davi. por isso que Jesus chamado nos Evangelhos de "Filho de Davi", porque Ele de fato o .


Os Evangelhos atestam o cumprimento de todas as profecias acerca do Senhor Jesus.


O evangelista Mateus tem o propsito de, por meio do seu livro, evidenciar o fato de que todas as profecias do Antigo Testamento a respeito do Messias se cumprem em Jesus Cristo. por isso que ele j inicia o seu evangelho com o ttulo: "Livro da genealogia de Jesus Cristo, filho de Davi, filho de Abrao". Note-se que Mateus inicia legitimando a ascendncia real de Jos, de Maria e, por conseguinte, de Jesus Cristo. Eram da tribo de Jud e descendentes da linhagem do rei Davi. Jesus era filho do ventre de Maria e adotivo de Jos.


A genealogia de Jesus est registrada em dois lugares nas Escrituras: Mateus captulo 1 e Lucas captulo 3, versculos 23-38. Mateus segue a genealogia de Jesus a Abrao. Lucas segue de Jesus a Ado. No entanto, h motivo para acreditar que Mateus e Lucas estejam seguindo genealogias completamente diferentes. Por exemplo, Mateus diz que o pai de Jos era Jac (Mt 1.16), enquanto Lucas diz que o pai de Jos era Heli (Lc 3.23). Mateus segue a linha de genealogia por meio de Salomo, filho de Davi (Mt 1.6), enquanto que Lucas segue a linha por intermdio de Nat, filho de Davi (Lc 3.31).


O evangelista Lucas registrou a genealogia de Maria, e Mateus a de Jos. Mateus est seguindo a linhagem de Jos (pai legal de Jesus), por intermdio de Salomo, filho de Davi; enquanto que Lucas est seguindo a linhagem de Maria (parente sanguneo de Jesus), por meio de Nat, filho de Davi. No existia uma palavra grega para "genro", e Jos teria sido considerado um filho de Heli por ter se casado com Maria, filha de Heli. Por ambas as linhagens, Jesus um descendente de Davi e, portanto, qualificado para ser o Messias. Registrar a genealogia, na Antiguidade, atravs do lado materno era incomum, assim como o nascimento virgem. A explicao de Lucas que Jesus era filho de Jos, como se cuidava (Lucas 3.23).


Estes fatos demonstram que Jesus no foi nenhum judeu aventureiro querendo ser o Messias, como aconteceu com Teudas e Judas (At. 5.36, 37) e outros cerca de 100 falsos messias do primeiro sculo que apareceram, no citados nas pginas do Novo Testamento. Ele veio de uma linhagem real que lhe conferia a legitimidade e o direito ao trono de Israel. A profecia do patriarca Jac sobre Jud diz. "Jud, teus irmos te louvaro; a tua mo estar sobre a cerviz (pescoo) de teus inimigos; os filhos de teu pai se inclinaro a ti. Jud leozinho; da presa subiste, filho meu. Encurva-se e deita-se como leo e como leoa; quem o despertar? O cetro no se arredar de Jud, nem o basto de entre seus ps, at que venha Sil (o Messias); e a Ele obedecero os povos" (Gn. 49.8-10) - esta obedincia se dar no Milnio.


 


Uma das profecias de Isaas sobre o Messias diz: "Do tronco de Jess (o pai de Davi) sair um rebento, e das suas razes um renovo. Repousar sobre ele o Esprito do SENHOR, o Esprito de sabedoria e de entendimento, o Esprito de conselho e fortaleza, o Esprito de conhecimento e temor do SENHOR" (Is 11.1, 2). Esta profecia continua at o versculo 10. Portanto, Isaas confirma a descendncia do Messias era toda de Jud.


 


Jesus nasce em Belm de Jud, conforme a profecia de Miqueias: "E tu, Belm-Efrata, pequena demais para figurar como grupo de milhares de Jud, de ti me sair o que h de reinar em Israel, e cujas origens so desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade" (Mq. 5.2). Portanto, temos diante de ns algumas profecias do Antigo Testamento sobre o Messias, as quais se cumprem literalmente em Jesus Cristo. Ele o legtimo Messias prometido e aguardado pelos que esperam na salvao do SENHOR.


 


Deus no deixou dvidas sobre este fato maravilhoso! Enviou-nos um Redentor, o nico que preenche TODAS as profecias do Antigo Testamento com respeito ao Messias. Jesus Cristo legtimo, genuno, o nosso Salvador! Sabendo disso, vamos acolh-lo na nossa vida pessoal.


O nosso primeiro estudo centrou-se no fato de que "Jesus Cristo veio em carne e osso" (1 Jo 4.1-3). No segundo, vimos que Deus apresenta a garantia da vida eterna. Agora neste estudo, veremos que Joo prova que Jesus Cristo tem legitimidade para ser nosso Senhor e Salvador.


Na Primeira Carta de Joo, Ele mostra que teve duas formas de receber a revelao de que Jesus Deus e nosso Salvador. Neste sentido, h muita relao entre a revelao que Ele registrou no Evangelho e a sua Primeira Epstola. Veremos esta verdade e, em seguida, fatos relevantes sobre Jesus para os quais Joo chama a ateno em sua carta.


 


I. A RELAO ENTRE O EVANGELHO DE JOO E A PRIMEIRA EPSTOLA DESTE APSTOLO


instrutivo comparar o prlogo (termo usado na literatura designando uma introduo a uma histria) do evangelho de Joo com o de sua primeira epstola. Em ambos os prlogos, observamos certos elementos comuns no ensino de Joo sobre Cristo, como mostra o grfico a seguir:









































Ideia


Evangelho de Joo Cap. 1


1Joo Cap. 1


O incio


No incio...v.1


"O que era desde o princpio" v1


O Verbo


era o Verbo...v.1


"a respeito da Palavra da Vida" v1


A vida em Jesus


Nele estava a Vida v.4


"a respeito da Palavra da Vida" v1


Com Deus


E o Verbo estava com Deus... v.1


"a vida eterna, que estava com o Pai" v2


Manifestado na Carne


E o Verbo se fez Carne... v.14


"e se manifestou para ns" v2


Comunho com Deus


o direito de serem feitos filhos de Deus... "v12


"a nossa comunho com o Pai" v3


Filho Unignito de Deus


"o Unignito do Pai" v14


"e com seu Filho Jesus Cristo" v3


Luz contra a escurido


"A luz resplandece nas trevas" v5


"Deus luz e nEle no h trevas" v5


II. A VIS
O DE JOO A RESPEITO DE JESUS CRISTO " VERDADE" PORQUE JESUS LHE FOI MANIFESTADO DE DUAS MANEIRAS MUITO ESPECIAIS.


Em primeiro lugar: Joo tinha uma associao ntima e pessoal com Jesus e capaz de ser um verdadeiro testemunho (1Jo 1.1-3).


Em segundo lugar: Joo recebeu um testemunho de Deus, a essncia do que que "Deus nos deu a vida eterna, e esta vida est em Seu Filho" (1Jo 5.9-12).


Vamos considerar seis fatos sobre Jesus que Joo chama a ateno em sua carta:


1) A vida eterna est em Jesus Cristo


Joo diz que Jesus era vida eterna  "desde o princpio" e que estava com o Pai" (1Jo 1.1-2). Em seu evangelho, Joo afirma: "No princpio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus Ele estava no princpio com Deus Todas as coisas foram feitas por intermdio dEle, e sem Ele nada do que foi feito se fez" (Jo 1.1-3).


Joo diz: "Deus nos deu a vida eterna, e esta vida est em Seu Filho. Aquele que tem o Filho tem a vida" (1Jo 5.11-12).


2 Jesus Cristo verdadeiramente humano


Joo usa uma forma cuidadosa de palavras: "O sangue de Jesus Cristo, Seu Filho" (1Jo 1.7). Esta forma de palavras reconhece que o Jesus humano no estava separada do Filho de Deus. A confisso essencial "Jesus Cristo veio em carne" uma forma similar de palavras. Cristo Filho de Deus era Jesus, o homem de carne que derramou Seu sangue.


Mais tarde, Joo diz que qualquer pessoa que no confessa que "Jesus Cristo veio em carne" no de Deus e "anticristo" (1Jo 4.1-3, cf 2Jo 1.7).


 


3 Jesus verdadeiramente Deus


Quando Joo fala de comunho "com o Pai e com Seu Filho Jesus Cristo" (1 Jo 1.3), ele reconhece Jesus como o Filho de Deus. Ele usa duas vezes a designao exata: "o Filho de Deus", quando ele nos diz que devemos crer e confessar Jesus como tal (1Jo 4.15 e 5.5). Joo termina sua carta com uma declarao extremamente forte e clara: "e ns estamos n'Aquele que verdadeiro, em seu Filho Jesus Cristo. Este o verdadeiro Deus e a vida eterna." (1Jo 5.20).


O incio da era crist foi marcado por controvrsias em torno da pessoa de Cristo. So as controvrsias cristolgicas da literatura patrstica. Muitas discusses formaram-se, tendo em vista a elucidao do maior mistrio da histria: a encarnao do Verbo. At que, finalmente, no Conclio de Calcednia, 451 A.D, a igreja firmou sua posio declarando que em Cristo Jesus as duas naturezas, a divina e a humana, existiam em plena integridade.


O papel destes conclios foi excelente para diminurem polmica, controvrsias divisoras do povo de Deus e at mortes. Mas no precisamos de uma conveno teolgica para definir que Jesus Cristo de Nazar Deus. Ns sabemos pela nossa experincia com Ele e nossa f n'Ele cresce cada dia mais.


4 Jesus Cristo nosso Advogado


"Ns temos um Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo" (1 Jo 2.1). Ele o nosso intercessor ou parcleto, chamado ao lado para ajudar. Jesus tem essa autoridade para defender, porque Ele o Cristo, o Messias Ungido. Sua misso o de se levantar para voc quando voc obrigado a explicar-se sob acusao de delito por causa do nome de Jesus, ou interceder por voc quando est fazendo um apelo a Deus.


 


5. Jesus a propiciao pelos nossos pecados


Joo chama de "Jesus Cristo, o Justo" (1Jo 2.1). Depois, diz: "Ele Se manifestou para tirar os pecados, e nEle no h pecado" (1Jo 3.5).


Em sua Primeira epstola, Joo faz uma srie de declaraes sobre o sacrifcio de Cristo:


 a) "Seu sangue nos purifica de todo pecado" (1Jo 1.7)


b) "Ele mesmo a propiciao por todos os pecados" (1Jo 2.02)


c) "Ele deu a sua vida para nos salvar" (1Jo 3.16, 4.14)


A palavra "propiciao" (1Jo 4.10) significa que, pelo amor de Deus, faz expiao para aplacar a ira de Deus.


 


. Jesus infinitamente maior que Satans


Joo nos encoraja, apontando a supremacia de Jesus Cristo: "Maior Aquele que est em vs do que aquele que est no mundo" (1 Jo 4.4). Esta a ideia principal do livro do Apocalipse. O propsito de Jesus "destruir as obras do diabo" (1Jo 3.8).


H trs confisses em 1Joo:


a) "Jesus o Cristo" (1Jo 2.22)


b) "Jesus Cristo veio em carne" (1Jo 4.2-3)


c) "Jesus o Filho de Deus" (1Jo 4.15)


Na sua segunda carta, Joo usa um ttulo completo de Jesus: "O Senhor Jesus Cristo, o Filho do Pai" (2Jo 1.3).


Ilustrao: O que a Bblia diz sobre o Senhor Jesus Cristo?


Em Genesis, Jesus o descendente da mulher.


Em xodo, o cordeiro Pascoal.


Em Levtico, o Sacrificio Expiatrio.


Em Nmeros, a Rocha Ferida.


Em Deuteronmio, o Profeta.


Em Josu, o Capito dos Exrcitos do Senhor.


Em Juizes, o Libertador.


Em Rute, o Parente Divino.


Em Reis e Crnicas, o Rei Prometido.


Em Ester, o Advogado.


Em J, o nosso Redentor.


Nos Salmos, o nosso Socorro e Alegria.


Em Provrbio, a Sabedoria de Deus.


Em Cantares de Salomo, o nosso Amado.


Em Eclesiastes, o Verdadeiro.


Nos Profetas, o Messias Prometido.


Nos Evangelhos, o Salvador do Mundo.


Nos Atos, o Cristo Ressurgido.


Nas Epstolas, a Cabea da Igreja.


No Apocalipse, o Alfa o mega, o Cristo que volta para reinar.


Para ns, Ele Senhor!








[1] Walter Pacheco, Ilustraes CD Rom. Edio Prpria, So Fidelis, RJ, 2008.



[2] J. Blanchard.

© Assemblia de Deus de Maring. Todos os direitos reservados.
Google+